Life made him tough. Love made him strong. Music made him hard.

no sofá cor-de-laranja

Walk hard music video, Dewey Cox

Dewey Cox é um ícone musical dos anos 60, que nasceu de um episódio traumático da sua infância e é descoberto, mais tarde, por um grupo de judeus-executivos ligados ao mundo do espectáculo.

Seguindo a clássica espiral do rock’n’roll, Cox dorme com 411 mulheres, casa-se 3 vezes, tem 22 filhos e 14 enteados, protagoniza os seu próprio programa de televisão na década de 70, faz amizades com personalidades desde Elvis até aos Beatles, afeiçoa-se terrivelmente a um chimpanzé e torna-se dependente de todas as drogas conhecidas pelo Homem.

Dewey Cox é a personificação levada ao extremo de todas as figuras emblemáticas da história do rock: Bob Dylan, Elvis Presley, Jim Morrison, David Bowie, Ray Charles e, sobretudo, Johnny Cash. Aliás, este filme é uma espécie de paródia ao biográfico Walk the Line, galardoado em 2006, ainda que retrate, numa sátira impiedosa, os altos e baixos dos grandes artistas desta década, os desequilíbrios emocionais, os vícios e as mais hilariantes peripécias backstage.

Mas Walk Hard é também uma biografia do próprio rock’n’roll, desde as suas origens no blues até às suas mais diversas mutações e à forma como sobreviveu ao longo destes anos.

Dewey Cox é protagonizado com toda a inteligência, humor e doçura do fantástico John C. Reilly, numa interpretação brilhante das suas também existentes capacidades musicais – os temas são interpretados pelo próprio e Reilly protagonizou inclusivé, ao longo deste ano, concertos genuínos, após algumas exibições do filme nos EUA. Será que, à semelhança do caricaturizado Joaquin Phoenix aka Johnny Cash, também John C. Reilly trocará as câmaras pelo microfone?! Lá jeito tem…

Walk Hard : The Dewey Cox Story, realizado por Jack Kasdan e produzido por Judd Apatow, foi nomeado ao Globo de Melhor Actor Principal em Comédia ou Musical (John C. Reilly) e para música original (Walk Hard).

De salientar no filme o maravilhoso retiro zen de Dewey Cox na companhia dos Beatles (quando Cox experimenta LSD pela primeiraz vez e entra numa colorida viagem alucinante com os Fab Four) e o singelo dueto – Let’s Duet – com o seu verdadeiro amor, Darlene e que começa mais ou menos assim:

Cox: Hello Darlene.

Darlene: Hello Mr. Cox.

Cox: Are you ready to sing one?

Darlene: I’m always ready.

Cox: Well alright…

In my dreams you’re blowin’ me

… some kisses …

Darlene: That’s one of my favorite things to do …

2 thoughts on “Life made him tough. Love made him strong. Music made him hard.

  1. Ora isso dos LSD faz-me, assim de repende, lembrar qualquer coisa, hahahahaha… Uns coelhos com dentes grandes a cantar sentados em nuvens cor-de-rosa com uma garafa de geropiga ao lado e um berimbau na mão😛

    Chuack-quack*

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s